A gestão de pessoas nas fazendas é uma etapa fundamental do processo produtivo e tem total relação com o sucesso de qualquer iniciativa dentro do agronegócio.

Desenvolver um processo de Gestão de Pessoas de qualidade oferece diversos benefícios para o negócio como um todo.

No entanto, hoje não é mais o suficiente o gestor ter conhecimentos técnicos de sua propriedade. É mais do que necessário que ele se desenvolva como líder para assim poder gerir sua equipe de trabalho.

Conhecer a si mesmo é o primeiro passo para nos desenvolvermos como pessoas, porque é através do autoconhecimento que nós fortalecermos nossas habilidades e ficamos mais confiantes, o que nos possibilita lidar melhor com as dificuldades que encontramos pelo caminho.

Quanto mais a pessoa se conhece, melhor ela se relaciona com as pessoas, se engaja e se conecta com seu propósito de vida.

Quando se tem propósito, se tem motivação!

Sem motivação as pessoas não conseguem produzir tanto quanto deveriam, pois é a motivação que dá uma razão para as pessoas agirem, para trabalharem bem, para se sentirem felizes, inspiradas e realizadas.

Quando trabalha motivado, o ser humano alcança melhores resultados.

O grande desafio está em manter essa motivação frente a todos os desafios que se encontram diariamente.

É por essa razão que a motivação interna deve estar sempre sendo monitorada e estimulada, para servir de combustível para o sucesso pessoal e profissional.

Gerir pessoas adequadamente traz consigo muitos benefícios, como por exemplo, a capacidade de identificar problemas, analisá-los e solucioná-los de forma criativa e adequada.

As pessoas quando vivem em um bom ambiente de trabalho, com atenção, reconhecimento, motivação e objetivos definidos, sentem-se mais felizes.

Uma equipe motivada e engajada produz mais e com maior qualidade.

Por isso que é tão importante que os gestores do negócio saibam que para se atingir melhores resultados é preciso investir em suas equipes de trabalho, olhar para cada colaborador como um ser humano que tem competências diversas, pontos de melhoria, sentimentos, crenças e objetivos diferentes.

Uma das grandes dificuldades que temos hoje em estruturar um processo de Gestão de Pessoas eficiente dentro da fazenda, é o fato de que a maioria dos gestores do meio rural são de uma geração acostumada com modelos mais hierárquicos de gestão, ao estilo “chefia”, autoritário.

Esse modelo funcionou por muitos anos, mas hoje ele não funciona mais.

E mudar esse “mindset” é uma tarefa difícil, porque exige uma mudança de cultura, e mudanças de cultura geralmente levam tempo até as pessoas internalizarem sua importância e conseguirem aplicar no seu dia a dia os movimentos necessários.

O modelo atual de gestão de pessoas necessita de maior engajamento do líder, uma comunicação mais assertiva, habilidade de lidar com pessoas de diferentes gerações que tem talentos, potenciais e pontos de melhoria distintos, sendo necessário um acompanhamento diferenciado.

Além disso temos essa diferença de geração dentro do processo de gestão da fazenda, através da sucessão familiar (mas isso é tópico para falarmos em outro momento).

O gestor precisa hoje ter clareza sobre seu propósito de vida, propósito para o negócio, para a fazenda, e suas ações devem ser pautadas nesses propósitos.

Não somente propósitos operacionais, mas também que envolvam sua missão e seus valores, como produzir alimentos saudáveis, produção sustentável, excelência de qualidade nos produtos, motivação, etc.

No que tange à fazenda, a equipe deve estar ciente desses propósitos, pois é ela que vai possibilitar que eles sejam alcançados!

Dessa forma, as pessoas se engajam mais, tem mais vontade de fazer acontecer, e ficam alinhadas com os valores e missão que a fazenda tem em relação ao agronegócio.

Deseja ser o gestor e líder que o sua equipe e o seu negócio rural precisam?

CLIQUE AQUI e saiba como podemos ajudar.