A gerente da SIA Sustentável – Serviço de Inteligência em Agronegócios, realizou palestra na tarde desta terça-feira, 29 de agosto, no Pavilhão Internacional da Expointer. Helen Estima procurou desmistificar entendimentos de que projetos de sustentabilidade e de economia verde só causam restrições e gastos. Segundo ela, quando citamos restrições, estamos falando, na verdade, da regularização do Cadastro Ambiental Rural, o CAR,  assim como de questões de desmatamento e rastreabilidade que são cada vez mais fortes nesse mercado.

Helen enfatizou que os países que compram produtos e commodities do Brasil exigem a prova de que não se tratam de produtos oriundos de áreas desmatadas. A gerente da SIA ponderou que, ao mesmo tempo em que existem restrições, por outro lado as oportunidades de faturamento estão combinadas com políticas públicas que incentivam os produtores rurais a implementar práticas sustentáveis. “Um exemplo é o lançamento do Plano Safra 2023/ 2024, onde está explícito que o produtor rural que utilizar o crédito para implementar práticas sustentáveis terá desconto no acesso a esse crédito”, observou.

Helen também destacou que os projetos no Brasil estão mais conectados à questão de preservação da natureza. A gerente da SIA concluiu que esse movimento de relação comercial com países comprometidos com a redução de emissão de carbono, principalmente da Europa, está bem forte no sentido de vetarem produtos sem comprovação de práticas sustentáveis na origem. “Esse movimento de relação comercial com países comprometidos com a redução de emissão de carbono, principalmente da Europa, mas em seguida será um restritivo de mercados”, finalizou.

Texto: Agroeffective