Dentre as principais dúvidas dos produtores está saber o quanto os animais comem e qual o custo diário para ele, para o seu negócio. No texto desta semana, vamos falar alguns pontos que são importantes para responder essas duas perguntas. Focado na produção de leite, vamos iniciar respondendo o quanto os animais comem por dia, baseado na exigência alimentar deles, entender o sistema para definir a dieta e, por último, o custo diário.  Confira:

  • Exigência alimentar.

Sabemos que uma vaca precisa comer em torno de 3% do seu peso vivo por dia, então um animal de 600kg vai precisar consumir 18kg de matéria seca (MS) por dia. Essa quantidade pode ser oriunda de diversos tipos de alimentos como, volumosos, concentrados ou uma combinação dos dois, isso vai depender da organização do seu sistema.

  • Conhecer os teores de matéria seca dos alimentos

A dieta dos animais é calculada em matéria seca (MS), ou seja, o alimento sem o teor de água, isso porque é na matéria seca que se encontram os nutrientes, como energia, proteína, minerais, etc, que vão estar suprindo as necessidades do animal. Cada alimento tem seu teor de MS, por tanto é importante conhecer os ingredientes que se está trabalhando para então poder calcular a quantidade exata de MS que está vindo de cada um e ajustar a dieta de acordo com a exigência de seu rebanho.

  • Entender o sistema e definir o que vai compor a dieta desse animal

Se a propriedade trabalha com pastagem, silagem, ração ou uma mistura desses três alimentos, é necessário calcular cada um deles separado, pois os teores de MS variam de alimento para alimento, as pastagens por exemplo, em média possuem uma porcentagem de MS em torno de 20%, a silagem de milho planta inteira em torno de 30% e as rações 90%, e ainda o teor de matéria seca dos alimentos podem variar de acordo com diversos fatores, por isso é importante que se faça uma análise dos alimentos utilizados na propriedade, para se ter uma projeção de consumo mais assertiva.

  • Garantir que o animal consuma a quantidade necessária

Além de conhecer os alimentos e realizar o cálculo de dieta do rebanho, precisamos garantir que os animais ingeriram a quantidade de MS necessária por dia. Por isso, alguns fatores são importantes como: qualidade do alimento, dimensionamento de cocho e bom manejo do pasto. Estudos sobre o comportamento dos animais em pastejo, desenvolveram o conceito de manejo denominado pastoreio rotatínuo o qual mostra que existe uma altura ótima de manejo para cada espécie de pasto onde se maximiza a ingestão de matéria seca, por exemplo aveia e azevem que são duas cultivares anuais de inverno, recomenda-se altura de pré pastejo na aveia em 30 cm e pós pastejo em 18 cm, e o azevem pré pastejo com 20 cm e pós pastejo com 12 cm. Manejando o pasto nessa faixa de altura se garante que o animal tenha uma maior taxa de ingestão no período de tempo que ele tem de pastejo e assim capacidade de ingerir maior quantidade de MS.

Qual o custo diário?

  • Saber o que o animal come e em que quantidade

Tendo definido as características anteriores, já sabemos o que compõem a dieta do rebanho, para calcular o custo precisamos olhar para os alimentos separados e entender os custos de aquisição ou produção de cada um.

Em sistemas de pastagem, levar em conta os custos de implantação e manutenção, e dividir ele pelo período de uso.

Quando for ração, vai variar os custos se ela for produzida dentro da propriedade, onde alguns ingredientes são oriundos da mesma ou se for adquirida de fora. Quando produzida na propriedade levar em conta custos para produção, colheita e armazenagem desses alimentos.

Silagem, é importante considerar custos de produção, preparo e mão de obra, essa última levar em consideração para os itens anteriores também.

  • Calcular de acordo com a quantidade de MS de cada um

Como vimos acima é na MS que se encontram os nutrientes e por isso para saber o custo real de um alimento é necessário calcular de acordo com sua matéria seca.

  • Avaliar se o sistema está sendo rentável

Como sabemos a alimentação é um dos fatores que mais gera custo dentro das produções pecuárias, por isso, é importante uma boa administração e avaliação do sistema para entender se ele está sendo rentável ou não e buscar alternativas viáveis para redução de custos.