O Brasil está entre os cinco países mais produtores de leite no mundo. Os estados com maior produção são: Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina. No último censo do IBGE em 2017, o país estava com um rebanho de 11.506.788 vacas ordenhadas, num total de 1.176.295 estabelecimentos agropecuários produtores de leite de vaca.

Além de garantir sustento dessas diversas famílias o leite é um alimento rico em vitaminas e minerais que fornecem boa nutrição nas dietas humanas. O leite é um alimento seguro e nutritivo, e para cumprir com isso, algumas normas devem ser seguidas dentro das propriedades.

De acordo com as normativas do MAPA os limites de contagem bacteriana total (CBT) do leite cru refrigerado no tanque são 300.000 e a contagem de células somáticas (CCS) são 500.000. Muitas vezes manter esses valores pode ser um dos desafios nas propriedades leiteiras, por isso, seguem alguns pontos que podem ajudar no controle desses dois parâmetros:

  • O controle da CBT começa ainda na limpeza dos tetos dos animais, por isso, deve-se utilizar pré-dipping para limpeza e desinfecção dos tetos. Evitar ao máximo o uso de água nesse momento, pois pode ser um meio de contaminação.
  • Realizar lavagem do equipamento de ordenha todos os dias após o termino da ordenha, utilizando os detergentes ácido, alcalino e sanitizante, na seguinte ordem: enxague com água limpa, detergente alcalino com água a 70°C, detergente alcalino e sanitizante 30 min antes da ordenha.
  • Manter o aparelho de ordenha com a manutenção em dia, realizar a troca de mangueiras de acordo com a recomendação do fabricante.
  • Garantir que o leite seja refrigerado em 4°C até 3 horas após a ordenha, isso vai assegurar boa conservação do produto.

 

Já a CCS está relacionada com os casos de mastite presentes no rebanho, por isso para manter seus valores dentro do ideal é importante ter um plano de controle de mastites eficaz na propriedade, e o principais pontos são:

  • Correto diagnóstico dos casos, para isso, realizar o teste da caneca de fundo preto toda a ordenha a fim de identificar presença de grumos no leite. Fazer uso do teste CMT afim de diagnosticar casos de mastite subclínica e realizar teste de CCS individual, que auxilia no diagnóstico dos animais com mastite e no monitoramento de presença da doença.
  • Realizar cultura do leite em vacas recém paridas, animais positivos pro CMT e todos os casos clínicos (animais que apresentarem grumos no leite), importante no grupo de animais recém paridas que seja respeitado pelo menos uma semana após o parto para não ter interferências no resultado. A cultura do leite vai identificar os patógenos causadores de mastites que estarão acometendo a propriedade, e com isso é possível tomar decisões mais assertivas para tratamentos e prevenção. É importante ordenhar separado o lote de animais que apresentarem mastite, afim de evitar novas contaminações no rebanho através do equipamento de ordenha.
  • Utilizar pré e pós-dipping, o pré-dipping tem a função de eliminar as bactérias que estão na superfície do teto, assim evitando a contaminação. Já o pós-dipping funciona como uma barreira protetora do teto após a ordenha. Dessa forma os dois ajudando no controle da mastite.
  • Utilizar papel toalha para secagem dos tetos dos animais, uma folha de papel para cada teto, isso evita contaminações.
  • Garantir aos animais ambiente seco e limpo, isso diminui os casos de contaminação.
  • Utilizar terapia de vaca seca e selante, o uso da terapia de vaca seca auxilia no controle das mastites e o selante serve como uma barreira de proteção no teto. Em outros países já se tem migrado para terapia seletiva de vaca seca, no Brasil ainda fazemos o uso dessa ferramenta, mas um dos passos futuros será este. Realizar cultura do leite nos animais antes da secagem e utilizar o tratamento de vaca seca somente para os animais que apresentarem problema, os demais utilizar somente o selante, com isso se diminuiu o uso de antimicrobianos sem necessidade. Mas antes das propriedades adotarem esse sistema é necessário que se tenha um bom controle de mastites durante todo o período de lactação.

Essas são algumas dicas que podem auxiliar o produtor para montar seu plano de controle de CCS e CBT, mas lembrando que ele sempre deve ser formulado para atender as individualidades de cada propriedade e assim garantir a produção de um alimento seguro.

—————————————————————————————————————————

🎯 Descubra o método definitivo para transformar sua 🌱 fazenda em um negócio seguro e 💰lucrativo:

▶️ Cadastre-se AGORA no link 👉 http://bit.ly/SIA-Total

🗓️ Data: 07/06/2021.
🕐 Horário: 20h.

AO VIVO • ONLINE • GRATUITO PARA INSCRITOS